Onde coloco o meu chapéu, é a minha casa

Compártelo:


Sinopsis

ALGUÉM JÁ DISSE QUE VIAJAR É VIVER!

Ao longo dessa vida de aventura, vai-se constituindo uma família, que é meticulosamente escolhida por nós e embora não tenha o mesmo sangue nas veias, tem a comunhão dos nossos pensamentos e dos nossos objetivos.
Sendo assim, hoje tenho netos na Indonésia, e sobrinhos na Africa, filhos na América Latina e até uma mãe já tive na Colômbia. Tenho membros do mesmo clã na Europa e irmãos em Africa, enfim uma família estendida, pelos quatro cantos do mundo, por onde passei alguns dias da minha vida, onde a minha viagem me levou.
Contudo segundo sabemos a vida começou em África para o homo sapiens, assim como para a minha família, pois o primeiro irmão que tive foi o Zulfi Amade. Homem culto e generoso que me recebeu no seu regaço e sempre me tratou como o caçulo da sua família. Nos anos que passamos em Londres, preocupava-se com a minha saúde e com o meu bem-estar. Levou-me a museus e a restaurantes com novas e exóticas cozinhas, levou-me ao médico e ao dentista, enfim tudo fez por alguém que ele ainda não conhecia, mas que acabava de ser parido para o mundo, tendo saído das trevas de um Portugal fechado e escuro.
Depois tive uma irmã que tinha nascido em Cabo Verde e se tornou minha irmã na Suécia e um irmão que embora tenha nascido também no Porto como eu, viveu toda a sua vida em Cabo Delgado no norte de Moçambique. Esses são apenas alguns dos muitos membros da minha família.
Certo dia na Malásia decidi compartilhar a minha viagem que é longa e comecei a escrever pequenos momentos passados por mim, em que me vi confrontado com situações que me eram desconhecidas e das quais me saí, se não bem, pelo menos com um ensinamento para repartir.
Sendo a compilação extensa, decidi dividi-la em volumes e por isso começo pela África, continente que tal como já fiz referencia, é o berço da humanidade. E onde tenho tantos irmãos e irmãs desde a costa mediterrânica ao Cabo da Boa Esperança.
Não menciono outros nomes não é por não serem igualmente importantes para mim, simplesmente tornar-se-ia fastidioso uma longa lista que mais parece uma lista telefónica.

Detalles del Libro


ISBN/13: 9789898919069

Num. Páginas: 214

Tamaño: 145 X 210 mm

Encuadernación: Tapa blanda

Año de publicación: 2017

Editorial: Mário Brito Publicações Unipessoal, Lda | 5livros

Categoría: Literatura de viajes

Paco da Rocha (Autor)

Paco da Rocha
Como é conhecido internacionalmente,
foi um jovem que deixou a cinzenta
cidade do Porto nos anos 60.
Estudou em Londres, Estocolmo e
Gotemburgo e começou a sua longa
viagem percorrendo toda a Europa e
também penetrando além da “Cortina de
Ferro” chegando à União Soviética.
Depois veio a vez das Américas, da África e da Ásia.
Das viagens mais longínquas destacam-se a Nova Zelândia, a
Austrália, Timor Leste, o Japão ou as Coreias.
De todas estas viagens resultou um compilar de experiências que
ultrapassam as 120 e que relatam situações vividas em países
com culturas tao dispares como os Beduínos na Líbia aos Ibans na
ilha do Bornéu, na Malásia Oriental.
Desta feita, durante a minha estada de 4 anos na Malásia, decidi
começar pelo continente Africano, sendo este o “Berço da
Humanidade” e deixando os outros 4 continentes para futuras
publicações.
Espero que encontrem um pouco de humor nestas curtas estórias
ao mesmo tempo que dê para refletir que nem todos pensamos
da mesma maneira ou temos as mesmas tradições e que isso
muitas vezes é o suficiente para criar mal-entendidos, ou trazer
uma recordação mais amarga, de uma viagem que não nos
tínhamos preparado para a fazer.
Já disse que viajar é viver, e por isso desejo-vos boas e profícuas
viagens.

Menciones en prensa y otros enlaces:

No existen menciones para este libro


EBOOKS: